maçã da Apple, uma das maiores empresas tecnológicas do mundo, que estampa diversos aparelhos eletrônicos (iPhone, iPad, iPod, Mac), não tem o seu significado tão certo.

Todo nós já vimos essa maçã por aí, seja num telemóvel ou num computador. E todos nós sabemos que essa mação, com uma dentada, é da marca Apple, mas porque razão falta-lhe um bocado?

Tudo começou quando em 1976 a Apple nasceu com Steve Jobs e Steve Worníak, com a ajuda de Roland Wayne que projetaram um logo complexo com um homem debaixo de uma árvore com uma maçã na mão.

Tal imagem do homem provavelmente fazia alusão a Isaac Newton, que se deu conta da lei da gravidade ao observar uma maçã caindo do pé, mas eles logo decidiram simplificar a logo e adotar a maçã mordida, desenhada por Rob Janoff, com uma mordida.

Segundo o documentário “Steve Jobs: Como ele mudou o mundo”, Jobs era frugívoro na época, ou seja, ele alimentava-se apenas de frutas. Esse era um costume comum entre os jovens dos anos 1970. Jobs e o seu grupo de amigos estavam numa reunião num sítio que tinha macieiras, e foi por isso que eles fizeram uma dieta de maçãs na época da criação da Apple, e daí saiu o nome. Outra teoria diz que tal nome foi escolhido porque Jobs era fã do grupo britânico The Beatles, que tinham gravado com a gravadora Apple Records.

Mas, afinal, porquê a maçã mordida? Existem três hipóteses que explicam isso: a primeira é que simplesmente a mordida da maçã simboliza o conhecimento, a segunda é sobre uma ambiguidade no slogan da marca, onde dizia “Byte into an Apple” (frase ambígua para um byte dentro de uma maçã ou morda uma maçã). Já a terceira diz que as pessoas costumavam confundir a maçã com um tomante e colocar a mordida na imagem faz uma alusão clara ao conto sobre o fruto proibido que baniu Adão e Eva do Paraíso.