Tiago Leifert se emocionou quando voltou a falar sobre sua filha, Lua, diagnosticada com câncer de olho raro em janeiro deste ano.

Para a autora do site Patrícia Kogut, a apresentador disse que sacrificaria fama, dinheiro e qualquer boa oportunidade em sua vida só para poder sentar ao lado do (herdeira).

“Mudei muito minha vida devido à Lua. Dai e eu tivemos um bebê agora, e ela brinca: “Por que não tivemos um antes? Eu gostaria de ter mais! Porque é ótimo!” Quero vê-la crescer, quero estar com ela.

Estou indo embora, perdi dinheiro, vou parar de fazer as coisas, não vou ter chance, se precisar, de estar com ela”, disse.

“E tudo o que enfrentamos não é fácil. Nem vou entrar nessa história pra você não sair daqui chorando.

Mas não troco por nada. Se eles me dissessem: “Você vai ter que lidar com isso toda semana.”

Essa é a intenção de ter minha filha comigo? Asambe. Não troco a sessão de quimioterapia dele por nada. Eu sei que é ruim (…), mas eu amo esse tempo com ela.

Não há mudança. Mesmo nos piores momentos, as coisas estranhas que enfrentamos valem a pena porque ela é. Ela é bonita. A pequena é incrível”, disse, e todos ficaram orgulhosos.

Em outra parte da entrevista, Leifert revelou que o tratamento da filha, que foi totalmente apoiada pela esposa da apresentadora, a jornalista Diana Garbin, foi traumático.

“No câncer, às vezes a situação mais desesperadora é a pessoa real. É muito difícil.

Às vezes, para o câncer, um dia ruim é um dia real. Você pode ir quando pensar que tudo vai ficar bem e pode tropeçar.

Dai e eu aceitamos o plano em janeiro. Tudo estava indo bem e foi embora, com tratamento. Estávamos muito nervosos naquele dia. Não esperávamos más notícias.”

E ele seguiu. Os médicos disseram que não era tão ruim. Está claro. Eu desvio o olhar e olho para outros casos, eu entendo.

Mas, cara, minha filha. Para mim, a situação que enfrentamos em janeiro foi o fim do mundo.

Ela foi diagnosticado em outubro (2021) e recebemos notícias em janeiro de que ele não gostou. Houve uma repetição. A usina respondeu em janeiro.

Não mencionamos isso no vídeo. Eu te digo agora. Nós ficou muito ruim”, disse.

E a Dai falou: “O que nós fazemos? O que nós fizemos de errado?” Nós não estamos fazendo nada de errado.

É aleatório. Aconteceu. É nosso. É a nossa missão. “Suponho que nós devíamos falar, Dai. Estou p*** com essa doença.

Estou p*** com essa p***. Minha filha está doente. Então, vou dificultar a vida dessa doença.

Não quero que ninguém, nem o mais filho da p*** do mundo passe pelo que nós passamos hoje no meio do tratamento.

E derruba. Vamos declarar guerra a essa m***. Vamos falar, meu. Se nós salvar uma criança diagnosticada, para mim, valeu” (…) E de lá para cá, umas seis crianças foram diagnosticadas antes da hora. Devido à Lua”, acrescentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.