A participante do GNT ‘Saia Justa’ na quarta-feira, 11 de maio, Luisa Sonza falou sobre como o ódio online se tornou uma realidade em sua vida.

O fato desse artista estar colecionando haters nas redes sociais não é novidade, mas foi além das telas e se tornou uma realidade na vida do artista durante essa epidemia. Ele falou sobre isso.

Após revelar ao público o que estava acontecendo em sua vida e nas redes sociais em meados de 2021, o artista anunciou que a atitude era uma forma de ‘sobrevivência mental’. Luisa também disse que a medicação e o tratamento pararam de funcionar e ela começou a temer a morte.

Era uma questão de saúde mental. Eu não sabia mais o que fazer. Minha mente não aguentava mais, o tratamento não funcionava mais, as drogas não funcionavam mais. Eu tinha medo de sobreviver.”

Relatou então sua história pré-réveillon, em que se desvinculou das grandes festas e a viagem, porém, continuou sendo atacada. O tradutor de “sentaDONA” relembrou como aconteceu o ‘ataque marítimo’.

“Aluguei um barco para passar o Ano Novo com alguns amigos. Fui até o fundo do mar e mesmo assim, as pessoas passavam, no meio do mar, nadando, de jet ski, me xingando”, lamentou.

Astrid Fontenelle, Sabrina Sato, Larissa Luz e Luana Xavier não esconderam a surpresa.

Mas o pior ainda estava por vir, quando Luisa falou sobre as ameaças de morte e as consequências.

PÂNICO

Luisa Sonza lembrou a retomada do trabalho após a epidemia, quando deveria participar das filmagens de um programa de TV, mas a situação a impediu de embarcar em um avião e seguir viagem.

O cantora revelou ainda que esta é a primeira viagem que faz com o seu guarda-costas por medo de estar em público.

Enquanto pegava meu primeiro voo depois de ‘voltar devagar ou devagar, depois da epidemia’. Eu estava em um avião, e foi aí que comecei a viajar com segurança, porque fui ameaçado de morte ”

Luisa disse então que um dos homens que a ameaçaram já tinha o endereço dela e de parentes da artista, que moram no Rio Grande do Sul.

“Essa [ameaça] foi muito séria. O menino estava me mandando uma foto de uma arma, ele sabia meu endereço e de toda a minha família. Foi um caso sério. Alguém estava vindo de onde eu estava indo”, lembra.

Enquanto se apresentava no (Saia) Justa, a cantora contou a história ao embarcar em um avião que não conseguia se mover, pois, pensava que poderia ser atacada por um homem.

Ele saiu da área com a ajuda do gerente, pois não conseguia andar.

“Eu entrei no avião e esse cara estava me encarando. Comecei a ficar nervoso. […] Comecei a pensar ‘esse menino vai me matar’. Comecei a ter problemas para andar. O supervisor até me ajudou a sair do avião.”

 

Porém, ao contrário do que pensava a diva pop, ela não teve um ‘ataque de pânico’.

De acordo com seu terapeuta, foi um verdadeiro choque.

Então meu terapeuta me disse: ‘Você não teve um ataque de pânico. Você está chocado com o que está passando! ‘”

RECUPERAÇÃO

Para lidar com tudo isso, ela destaca de onde vem seu principal apoio. Por estar sozinho devido à epidemia  no país, o artista não pôde visitar sua família e, de alguma forma, estava longe de sua casa.

Portanto, a equipe com a qual trabalhou foi seu principal ponto de equilíbrio para superar essa situação.

“Minha equipe era como uma família na época para mim. Eu estava longe da minha família, devido à epidemia.

E minha equipe esteve sentada comigo todo esse tempo. Eles eram como minha família e viviam tudo comigo. Eu estava extremamente fraco”, explicou.

Depois de tudo isso, o artista resolveu ‘conversar’ sobre o tema com seus fãs.

Para ele, foi uma forma de deixar claro que, apesar de parecer, lidar com toda a onda de ódio não é fácil.

Foi então que decidi dizer às pessoas errado: ‘Está errado, está errado, nunca está certo. Sempre foi ruim, sempre foi difícil. Como eu finjo, não é fácil. Não é nada fácil”

Por fim, o artista revelou alguns de seus traumas após anos de ondas furiosas e evitando o que poderia ter feito com tratamento, medicação e apoio de pessoas próximas a ele:

“Você sabe que eu não posso? Vibrar uma célula. Não vai ter barulho no celular, porque acho uma tragédia, que algo esteja acontecendo”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.