Juliette Freire utilizou o Instagram, na última terça-feira (5/7), para se manifestar a respeito do processo movido pelo MBL. Rubinho Neves, vereador de São Paulo, não gostou dos gritos a favor de Lula durante um show e acusou a cantora de ter feito campanha para o candidato do PT fora do período das eleições, o que é considerado crime pela Justiça Eleitoral.

“A estratégia é tão óbvia. Só não enxerga quem não quer. Próxima pauta… vamos falar de coisa boa?!”, se limitou a dizer a campeã do BBB21. Nos comentários da publicação, até Gilberto Gil saiu em defesa da Rainha dos Cactos: “Amooo! É sobre isso”, pontuou.
Após manifestações pró-Lula no show da Juliette, em uma festa de São João em Caruaru, em Pernambuco, na madrugada do último domingo (3/7), membros do MBL representaram contra a artista, que deu a entender ser a favor do pré-candidato à presidência.

No documento, o vereador de São Paulo Rubens Nunes e o pré-candidato a deputado estadual Guto Zacarias alegam haver um “comício disfarçado de evento cultural” e afirmam que Juliette se apresentou “com dinheiro público”.

Os dois ainda apontam que a situação é um “flagrante ato propaganda eleitoral antecipada e irregular por parte do público presente”.

“Foi realizado verdadeiro showmício, pago com verbas públicas, em favor do Representado Lula, ofendendo frontalmente a legislação eleitoral, que veda a realização dessa forma de propaganda eleitoral durante o período de campanha oficial”, diz trecho do documento.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.