Em meio às mudanças climáticas e ao desmatamento severo não apenas na América Latina, mas também no Brasil, outros projetos de reflorestamento estão tentando conscientizar a população sobre a importância de conservar o meio ambiente e lutar pela saúde das florestas naturais. Um deles foi desenvolvido por Ivan Neves, de 9 anos, aluno da codeBuddy, escola de tecnologia focada em programação, robôs e segurança digital para crianças e adolescentes de 7 a 16 anos. O menino criou um jogo onde o jogador planta árvores visíveis e pode contribuir para o plantio de árvores na vida real.

A diferença entre os dois é o envolvimento direto de empresas, que, segundo o jornal britânico Guardian, foram responsáveis ​​por mais de 480 bilhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono e metano nos últimos 40 anos.

“No meu projeto, de cada dez árvores plantadas, uma será plantada na vida real. Ele será plantado por anunciantes de jogos toda vez que um usuário vencer. As empresas poderão participar colocando seus anúncios no jogo, o que ajudará a todos na vida real”, explica Ivan, que criou o jogo para ajudar o planeta.

“Uma árvore é uma forma muito eficaz de salvar o meio ambiente. Reduz o ruído, limpa o ar e é um refúgio para uma variedade de animais. Assim todos podem ajudar o planeta, e qualquer um pode jogar, pois o jogo é simples e para todas as idades”, acrescentou o mineiro.

A ação de Ivan é fundamental no atual contexto de desastres naturais no Brasil. Segundo informações oficiais do Instituto do Homem no Meio Ambiente da Amazônia, a Amazônia perdeu cerca de 10 mil quilômetros quadrados de floresta entre agosto de 2020 e julho de 2021, meses em que se mede o desmatamento. A taxa é 57% maior do que na temporada passada, e a pior em uma década. Nesse contexto, é importante que as preocupações ambientais sejam levantadas nas crianças o quanto antes, deixando os adultos preocupados em reverter a situação e cuidar do planeta para as próximas gerações.

O envolvimento de crianças e jovens no tema pode se beneficiar ainda mais de seu conhecimento de planejamento, que fornece as ferramentas técnicas necessárias para criar fóruns independentes, aplicativos e jogos como o do Ivan. O conceito do codeBuddy é fornecer instrução pessoal, colocar o aluno como protagonista de sua aprendizagem e despertar o interesse da criança.

O contato com esse tipo de aprendizado auxilia na prática em sala de aula, auxilia no desenvolvimento do raciocínio lógico e matemático e cria caminhos naturais para posterior inserção no mercado de trabalho. A importância dos programas para crianças e jovens é uma tendência mundial. Atualmente, o sistema de educação pública dos EUA espera que a ciência da computação se torne uma disciplina necessária no ensino médio nos próximos anos.

Em outubro, o codebuddy inicia um curso de ritmo acelerado chamado ‘Wayfinding: Reprogramming the Future’, com um programa de quatro semanas e 1h30min de atividade por semana, que inclui 6 horas de imersão e aprendizado: o objetivo é, a partir desta breve experiência. , as crianças e os pais determinam os melhores interesses de seus filhos. Neste caso, a empresa disponibiliza uma plataforma de ensino com elementos didáticos e foco no desenvolvimento de competências, incentivando a inovação e a resolução de problemas. A ideia é que a criança aprenda a pensar por si mesma e seja independente na hora de resolver problemas.

Para crianças com interesse no meio ambiente e outras questões sociais e políticas, o planejamento pode fornecer ferramentas para participar plenamente da comunidade e ter uma voz mais próxima de seus colegas. Estudar a disciplina também ajuda no desenvolvimento dos sentidos, que contribuem para o desenvolvimento da escola e a preocupação de longo prazo com as questões sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.