Cachorrinho tem veia poética: ele insiste em cheirar todas as flores que encontra no caminho.

Conforme os poetas, “amor” deve servir de rima para “flor” e não para “dor”. Este pequeno cachorrinho faz questão de levar esta lição muito a sério: durante as caminhadas diárias, ele insiste em parar em todos os canteiros. Ele não quer fazer xixi e demarcar território, mas cheirar as flores.

Finn é um mestiço de griffon de Bruxelas e pequinês. A primeira raça é quase desconhecida no Brasil, enquanto a segunda fez muito sucesso nas décadas de 1970 e 1980, mas é pouco procurada atualmente. É possível que a vocação de poeta do cachorrinho contribua para popularizar as duas raças.

Este cachorrinho para em todos os canteiros do caminho para cheirar as flores

Finn e as flores
O mestiço tem dois anos de idade e vive com a tutora em Cincinnati, Ohio (centro-leste dos EUA), desde os primeiros dias de vida. Finn é um cachorro bastante esperto, que adora correr e pular. Trata-se de um animal atlético, sempre pronto para uma competição de frisbee.

Assim como todos os cães, Finn possui um faro refinado, capaz de sentir aromas a quilômetros de distância. Mas, ao contrário da maioria dos seus colegas, o mestiço prefere usar o olfato para uma atividade mais nobre: cheirar flores.

Este cachorrinho para em todos os canteiros do caminho para cheirar as flores

A tutora de Finn, Sarah Geers, disse ao The Dodo, que o cachorro sempre exibiu preferência por bons perfumes. Quando ele ainda era filhote, ficou encantado com o jardim da casa do pai de Sarah: ele foi visitar o “avô” em plena floração das zínias, flores bastante comuns no continente americano.

Sarah afirmou que Finn apenas aproximou-se das flores, para sentir o perfume. Ele ficou sentado cheirando, sem tentar morder nem cavar. Aparentemente, o filhote estava deliciado com o aroma que se desprendia das plantas.

Finn tornou-se um animal adulto (ele continua pequeno), mas manteve o hábito de cheirar flores. Ele chega a tentar escalar a mesa de jantar para ficar mais perto dos vasos de flores e já se aproximou até mesmo de plantas artificiais, mostrando ser atraído não apenas pelo olfato, mas também pela visão – fato relativamente raro entre os cachorros.

Este cachorrinho para em todos os canteiros do caminho para cheirar as flores

O mestiço também tenta sentir o perfume de plantas que não dão flores: qualquer vaso que esteja ao alcance funciona como um chamariz para ele. Ao que tudo indica, no entanto, ele fica um pouco frustrado quando encontra apenas ramos e folhas.

O cãozinho também tem outra paixão: os humanos. Apesar de ser resistente e muito brincalhão, ele adora as longas sessões de colo proporcionadas pela tutora. Finn também acompanha Sarah em supermercados e lojas de utilidades domésticas.

Enquanto é conduzido no carrinho de compras, Finn encara todas as pessoas que encontra. Ele sabe apresentar fisionomias agradáveis e muitos clientes das lojas param para acariciar e conversar com ele. “Ele adora ser o centro das atenções”, diz Sarah.

Este cachorrinho para em todos os canteiros do caminho para cheirar as flores

Finn também é ciumento e gosta de demonstrar a insatisfação quando não recebe os mimos e agrados que acredita ter direito. Sarah é recém-casada, mas o cãozinho nunca demonstrou muita intimidade com o noivo (e agora marido da tutora).

Mesmo assim, ele ficou encantado com o buquê que Sarah usou na cerimônia de casamento, no outono de 2021. Ele supervisionou a confecção pessoalmente e cheirou todas as flores do arranjo. Durante vários dias, ele manteve o buquê por perto, mostrando ter certeza de que as flores eram dele.

Por conta das preferências de Finn, Sarah passou a pesquisar sobre flores para decorar a sua casa. Ela encontrou a solução perfeita: vasos de amor-perfeito, cujas flores são multicoloridas e não são tóxicas para animais domésticos. Ao contrário, elas são até comestíveis (para humanos).

Este cachorrinho para em todos os canteiros do caminho para cheirar as flores

Mesmo assim, Finn inspeciona os vasos, à procura de cores e aromas. Os dias quentes estão se aproximando e, em poucas semanas, o cãozinho será surpreendido por centenas de flores de cores diferentes.

Enquanto os amores-perfeitos não desabrocham, Sarah precisa encontrar novos roteiros para as caminhadas diárias. Durante o inverno, as únicas plantas que davam algum colorido diferente eram os espinheiros dos canteiros centrais de Cincinnati, que se tornaram o passeio preferido do cãozinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.