O vidro é feito de uma mistura básica de areia de sílica, sódio e cálcio. Os materiais passam por alguns processos e depois o vidro como o conhecemos. Mas como funciona esse processo de produção?

Você se levanta e talvez olhe pela janela. Então você vai ao banheiro escovar os dentes e se olhar no espelho. Neste primeiro momento do seu dia você já está em contato com um vidro plano duas vezes.

Você pode não perceber, mas se pensar imediatamente, verá que o vidro está em sua posse a maior parte do dia.

Mas você já parou para se perguntar: como é feito o vidro?

Por muitos anos a fabricação de vidro foi considerada arte pela complexidade e conhecimento envolvido.

Os vitrais da igreja e outros produtos eram considerados verdadeiras obras de arte. Feito 100% à mão, por pessoas com conhecimento e talento únicos.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo especial para quem quer ficar por dentro de todas as etapas do processo de produção do vidro, desde a mistura de materiais de construção até o vidro como o conhecemos hoje.

Do que é feito o vidro?
A fórmula de vidro mais popular contém areia de sílica, sódio e cálcio. Mas isso não é tudo. Além dessas três substâncias, há a inclusão de magnésio, alumina e potássio, todos prontamente disponíveis na natureza.

Parte de cada item pode ser diferente. Mas geralmente a composição é composta por 72% de areia, 14% de sódio, 9% de cálcio e 4% de magnésio. Alumina e potássio são incluídos apenas em alguns casos.

O processo de produção de vidro
Os materiais são misturados e processados ​​para garantir que não haja contaminação. A mistura é colocada em um forno industrial que pode atingir altas temperaturas, próximas a 1.600ºC.

Dentro do forno, a fusão ocorre até que a composição se torne um único líquido viscoso. Então é hora de flutuar.

Um banho flutuante consiste em um processo no qual o vidro é despejado, ainda na forma líquida, em uma banheira de 15 cm de profundidade. A lata, por ser grossa, faz o vidro flutuar e ficar completamente plano.

A separação ocorre da mesma forma que a reação entre água e óleo.

Dentro da banheira há rolos responsáveis ​​por determinar o tamanho do vidro. Quanto mais rápido eles giram, mais finos eles se tornam. Se passar um pouco, o vidro ficará maior.

Com a rigidez e rigidez já definidas, é hora de resfriar o vidro. Neste caso, são necessárias duas etapas: sala de re-cozimento e resfriamento externo.

O resfriamento é importante para evitar a quebra do vidro, por isso deve ser feito com muito cuidado. A câmara fria possui óleo que resfria a peça lentamente até atingir 250ºC.

Depois disso, a peça vai emaranhar, mas desta vez. Esse processo permite que o vidro esfrie naturalmente, preservando suas propriedades.

O teste de qualidade do vidro é importante
Depois de passar por todo o processo de produção, ainda é necessário fazer uma inspeção minuciosa antes do corte, para garantir que tudo corra bem. Portanto, nenhuma peça defeituosa será entregue ao cliente final.

O scanner de alta tecnologia mostra pequenas falhas no vidro, como bolhas de ar e contaminantes que podem estar presos a ele. Esta análise é seguida por testes de cor para garantir os padrões de qualidade.

Espelhos de teste aprovados vão para cortar e distribuir metal. As peças paralisadas quebram e voltam ao início do processo produtivo, com um ciclo 100% reutilizável.

O que acontece depois?
Após o processo de produção vem o processamento. As diferentes técnicas utilizadas resultam em diferentes tipos de vidro.

Cada tipo de vidro possui características próprias, obtidas pelo uso direto. O vidro sólido, por exemplo, é o resultado de um processo térmico. Isso garante 5 vezes a resistência e variabilidade da temperatura máxima.

Existem ainda vários outros tipos de vidro criados para processamento: laminados; isolado; tela de seda; esmaltado; impresso; auto-limpeza e muitos outros. Veja nossa lista completa de produtos aqui.

Como evitar surpresas ao comprar um copo plano?
Quem trabalha no mercado de vidros sabe a importância de sempre fornecer vidros e espelhos da melhor qualidade aos clientes. Além de evitar dores de cabeça, a qualidade dos ingredientes utilizados está diretamente relacionada ao serviço que você presta.

Para evitar problemas, conte sempre com fornecedores confiáveis ​​que trabalham com materiais de alta qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.